• Ines Rioto

Cuidar em casa: Programa Acompanhante de Idosos (PAI)



PROGRAMA ACOMPANHANTE DE IDOSOS- PAI

DEFINIÇÃO

É uma modalidade de cuidado domiciliar biopsicossocial a pessoas idosas em situação de fragilidade clinica e vulnerabilidade social, que disponibiliza a prestação dos serviços de profissionais da saúde e acompanhantes de idosos, para apoio e suporte nas Atividades de Vida Diárias (AVD’s) e para suprir outras necessidades de saúde e sociais.


OBJETIVOS

Objetivo Geral

Desenvolver um Programa na rede municipal de saúde da cidade de São Paulo, que contemple a assistência integral à saúde de população idosa dependente e socialmente vulnerável, com dificuldade de acesso ao sistema de saúde e com isolamento ou exclusão social devido à insuficiência de suporte familiar ou social.


Objetivos Específicos

1. Promover assistência integral à saúde da população idosa descrita, objetivando desenvolver autocuidado, autonomia, independência e melhoria do estado de saúde.

2. Evitar, ou adiar a institucionalização e oferecer condições a essa população de uma vida mais autônoma e de melhor qualidade.

3. Promover a quebra do isolamento e exclusão social.

4. Formar, acompanhar e dar suporte técnico a acompanhantes de idosos (AI’s), para atender a população idosa descrita, em seu domicílio e/ou na cidade.

5. Integrar as redes formais e informais de atenção à pessoa idosa para fortalecimento de parcerias e obtenção de alternativas de atendimento das demandas.


EQUIPE DE TRABALHO DO PROGRAMA ACOMPANHANTE DE IDOSOS


A Equipe de Trabalho do Programa Acompanhante de Idosos deverá estar vinculada às unidades de saúde, compartilhando as ações desenvolvidas.


A equipe é composta por:

1 Coordenador(a), 1 Médico(a), 1 Enfermeiro(a), 2 Auxiliares de Enfermagem , 1 Auxiliar Administrativo e 10 Acompanhantes de Idosos. Dentro da Equipe de Trabalho, o(a) Coordenador(a), o(a) Médico(a) e o(a) Enfermeiro(a) .



Documento Norteador Programa Acompanhante de Idosos


https://www.prefeitura.sp.gov.br/cidade/secretarias/upload/saude/arquivos/pessoaidosa/DocumentoNorteador-PAI.pdf


O Programa Acompanhante de Idosos é desenvolvido em regiões diferentes na cidade de São Paulo. A primeira experiência foi realizada com a Universidade Federal de São Paulo (UNIFESP), que se constituiu em entidade parceira, por meio do Instituto de Geriatria e Gerontologia (IGG). O principal objetivo desse projeto inicial foi capacitar indivíduos a realizarem atividades comunitárias de cuidado e acompanhamento de pessoas idosas frágeis, para atuarem na identificação de situações de risco que comprometessem a autonomia e independência, assim como contribuir, para minimizar os efeitos da dependência que as pessoas idosas possuíam. O período da capacitação teórico-prática foi de seis meses, sendo que, durante três meses, as 28 participantes do projeto desenvolveram atividades de acompanhamento de pessoas idosas na região central da cidade. Os profissionais de saúde da região de Santa Cecília sentiram a necessidade de implantar ações, que ultrapassassem as práticas tradicionais de intervenção em saúde, ao constatarem as necessidades peculiares da população idosa que o seu território geográfico e social compunha.


Com a confluência das propostas das Áreas Técnicas de Saúde da Pessoa Idosa e da Saúde Mental, a Secretaria Municipal de Saúde de São Paulo por meio da Unidade de Referência de Saúde do Idoso - Sé (URSI Sé) estabeleceu parceria com a Associação Saúde da Família, para implantação do Projeto “Anjos Urbanos”. O projeto foi piloto e se constituiu com o objetivo de oferecer cuidados domiciliares às pessoas com dependência funcional para as atividades da vida diária. Foram contratadas pessoas que haviam realizado a capacitação inicial feita pela UNIFESP, estabelecendo como área de abrangência as regiões de Santa Cecília, Sé e Santana, ficando a URSI Sé responsável pelo gerenciamento do projeto.


Posteriormente, em maio de 2006, a mesma experiência foi repetida na região da subprefeitura da Mooca, através da parceria entre a Unidade de Referência à Saúde do Idoso – Mooca (URSI Mooca) e o Centro Social Nossa Senhora do Bom Parto. A demanda originou-se da necessidade de atenção a um grupo de pessoas idosas, em situações muito semelhantes aos encontrados na Sé, que não tinham a possibilidade de autocuidado e corriam riscos de institucionalização. Mediante a realidade apresentada, o projeto foi instituído na região, denominado de Acompanhamento Comunitário do Idoso. O treinamento inicial das acompanhantes foi realizado pela equipe gerontológica da URSI Mooca.


Em 2008, face à avaliação positiva que o projeto recebeu, a Secretaria Municipal de Saúde através da Coordenação da Atenção Básica, decidiu torná-lo uma política pública para a população idosa fragilizada do município de São Paulo. Foi expandido para outras doze regiões da cidade, com nova denominação: “Programa Acompanhante de Idosos”. Em 2012, após uma terceira expansão, o PAI passou a contar com 22 equipes, distribuídas em todas as regiões da cidade de São Paulo, através de parcerias com as seguintes instituições: Associação Saúde da Família, Centro Social Nossa Senhora do Bom Parto e Superintendência de Atenção à Saúde do Serviço Social da Construção Civil, as quais, sob a coordenação da Secretaria Municipal da Saúde, planejam e executam o Programa Acompanhante de Idosos.


O Programa encontra-se em atividade e já constitui importante opção de atendimento aos idosos em situação de fragilidade, pois rompe a exclusão em que esses indivíduos se encontram, decorrente da situação de sua saúde. Também se transformou numa prática positiva de política pública, pois responsabiliza o gestor da política de saúde a exercer o seu papel no contexto do envelhecimento.


PRÊMIOS DE RECONHECIMENTO


O Programa Acompanhante de Idosos é reconhecido como um programa exemplar e inovador. No decorrer do seu desenvolvimento, foi objeto de apresentação em congressos, seminários, mesas-redondas e teve sua experiência publicada em diversos locais, sendo a experiência divulgada em jornais, revistas, televisão e rádio. Destacamos os seguintes reconhecimentos públicos, que valorizam a eficiência e a eficácia do Programa:

 Concurso Banco Real Talentos da Maturidade – 9ª edição, na categoria Programas Exemplares, no ano de 2007, como um dos cinco projetos vencedores de todo o território nacional.

 Menção honrosa, outorgada pelo COSEMS/SP, no XXII Congresso de Secretários Municipais de Saúde do Estado de São Paulo, realizado de 25 a 29 de março de 2008, na cidade de Bauru - SP.

 Uma das 20 experiências exitosas do SUS. Esse reconhecimento ocorreu no XXIV Congresso Nacional das Secretarias Municipais e no V Congresso Brasileiro de Saúde e Cultura da Paz, realizados em Belém - PA, no período de 08 a 11 de abril de 2008.

 Trabalho selecionado pelo COSEMS/SP para a apresentação no VI Congresso Brasileiro de Cultura de Paz e Não Violência do CONASEMS, realizados no período de 11 a 14 de maio de 2009, em Brasília - DF.