• Ines Rioto

Moradia - favela para os pobres da África do Sul


“Estamos esperando por casas”, disse uma moradora da favela de Motsoaledi, em Soweto, ao lado de seu fogão a lenha . - Fotografia: Renovação da África / Ernest Harsch


Na África do Sul, menos de 7,5% da população tem 60 anos ou mais. No entanto, esta é a maior proporção de idosos na África. Embora mais de 16% da população branca tenha 60 anos ou mais, apenas 6,2% dos negros estão nessa situação. O envelhecimento está se tornando uma preocupação na África do Sul.


Desde a década de 1980, a provisão de moradia para idosos na África do Sul é considerada uma joint venture dos setores público e privado.


As necessidades de habitação dos idosos na forma de três variáveis ​​sociais - interação social, percepção e medo do crime e satisfação residencial - são considerados. Em segundo lugar, examina-se a distribuição dos idosos no Estado Livre e, por fim, é investigada a habitação para idosos, fornecida pelo setor público e privado (ONGs, igrejas, incorporadores e outros) na província.

Nico Kotze

Universidade de Joanesburgo


---------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------


SOWETO -

A favela - batizada em homenagem ao herói anti-apartheid Elias Motsoaledi -

fica dentro de Soweto, o maior município negro da África do Sul.

Além de não ter um sistema de água adequado, não tem eletricidade - embora altos postes de alta tensão fiquem ao longo da periferia. Os moradores precisam contar velas para iluminar e nem sempre tem o que cozinhar.


https://www.un.org/africarenewal/web-features/winding-path-decent-housing-south-africa%E2%80%99s-poor