top of page
  • Foto do escritorInes Rioto

Lehrer Architects projeta micro-moradias para pessoas em situação de rua em Los Angeles EUA.



  • Escrito por Andreea Cutieru | Traduzido por Vinicius Libardoni

  • 24 de Maio de 2021

Alexandria Park Tiny Home Village. Imagem cortesia de Lehrer Architects


A Lehrer Architects converteu uma série de terrenos baldios de Los Angeles em espaços para micro-moradias voltadas a acolher pessoas em situação de rua—um modelo experimental concebido para combater a falta de moradia na cidade. Trabalhando em parceira com o Departamento de Obras e Engenharia da cidade de Los Angeles, a Lehrer Architects desenvolveu um projeto bastante simples porém eficiente. Casas construídas com estruturas de paletes reutilizados foram pintadas em cores vibrantes para promover o sentido de comunidade e restaurar a dignidade da população em situação de rua através da arquitetura.


Em fevereiro, a Lehrer Architects inaugurou o seu primeiro projeto piloto de habitação social para pessoas em situação de rua e a segunda versão deste projeto está pestes a ser concluída. Chamado de Alexandria Park Tiny Home Village, a segunda geração das micro-moradias compõe um conjunto duas vezes maior do que o primeiro e deverá acomodar uma comunidade de até 200 moradores. Um terceiro projeto de habitação temporária para pessoas em situação de rua está em processo de desenvolvimento e deverá ser concluído ainda este ano. Os três empreendimentos fazem parte de um projeto a longo prazo desenvolvido pela prefeitura de Los Angeles para promover o direito à habitação digna à população carente da cidade. A principal característica formal do projeto é o uso de cores vibrantes, uma estratégia que pretende chamar a atenção da população local e também construir um sentido de comunidade e pertencimento.


Cada nova versão do projeto está sendo melhorada de acordo com as experiências prévias, criando um modelo flexível e cada vez mais eficiente e econômico. Projetados, fabricados e montados no local em tempo recorde, os micro-abrigos são construídos a partir de uma série de módulos pré-fabricados, os quais podem ser facilmente montados e desmontados. Cada unidade oferece abrigo para uma ou duas pessoas. Além disso, os mesmos módulos poder ser acoplados uns aos outros para abrigar diferentes programas, como refeitórios, vestiários e espaços de armazenamento e atendimento ao público.

Para nós, projetos como este são um estimulo à nossa criatividade. As restrições técnicas e econômicas severas, assim como a urgência política e social da questão por si só, demandaram de nossa equipe uma extrema disciplina. Nosso principal objetivo era poder restaurar minimamente a integridade dessas pessoas, proporcionando uma nova oportunidade para que elas possam recomeçar as suas vidas com saúde e segurança. Cada modificação no projeto foi feita para melhorar a qualidade dos projetos e minimizar custos desnecessários: nesse sentido, a cor desempenha um papel fundamental como estratégia formal, um elemento capaz de transformar estes espaços em lugares vibrantes e dinâmicos, que alegram as pessoas e promovem o sentido de comunidade. - Michael B. Lehrer FAIA, sócio fundador da Lehrer Architects

Fundado em 1985, ao Lehrer Architects é um escritório de arquitetura com sede em Los Angeles, cujo trabalho se concentra em construir comunidades e promover a qualidade de vida em cenários desfavoráveis. O escritório tem ampla experiência no trabalho direto com comunidades carentes e organizações culturais voltadas à construção de moradias populares, abrigos temporários e centros comunitários. O compromisso de combater a falta de moradia e promover a qualidade de vida das pessoas em situação de rua é um objetivo que o escritório persegue desde sempre, como pode ser visto em projetos como Skid Row ou nos apartamentos do East Rancho. Em agosto de 2020, Michael Lehrer recebeu a medalha de ouro do Instituto Americano de Arquitetos da cidade de Los Angeles, um importante reconhecimento pelo valioso trabalho que vem sendo desenvolvido ao longo das últimas décadas.


Comments


bottom of page